Tive a graça de poder ter estado presente na abertura do nosso ano jubilar em Schoenstatt, a olhar directamente para o NOSSO santuário original!
Foi um grande presente! Não era suposto ir e, quase à última da hora, Nossa Senhora providenciou para que eu fosse!  Fui para lá com a forte consciência de que não era só eu que ia, mas que tinha a responsabilidade de representar a nossa família portuguesa! Foi o que tentei fazer, entregando a cada momento todos e cada um.  Levei alguns recados de algumas pessoas (uns escritos e outros ditos) e que foram entregues na talha do santuário original. Mas mesmo os que não foram ditos ou escritos foram entregues, porque Nossa Senhora sabe o que cada um traz no coração neste início de ano.
Foi um fim de semana muito bonito onde se viveu em ambiente de festa e de família. Foi uma vivência em que se percebeu o enorme dom que Schoenstatt é, não só para nós, Schoenstattianos, mas também para a Igreja e o mundo, como referiu o cardeal Rylko, o presidente da câmara de Vallendar e outros ilustres que não são schoenstattianos! 
Para mim, foi compreender que este ano jubilar não é só uma oportunidade de agradecer e festejar, mas também de renovar o nosso empenho, entusiasmo e responsabilidade pela missão de Schoenstatt!  Quando o Cardeal Rylko abriu a porta do santuário original, "abrindo" assim o ano jubilar, a sensação que tive foi a de entrar numa nova etapa da nossa história; foi a de "abrir" ainda mais o nosso coração para assumir com novas forças e empenho a missão da Aliança! Pareceu-me que o Pai Fundador e Nossa Senhora nos perguntavam: "Estão prontos para continuar o caminho, assumir o futuro de Schoenstatt, agora ainda mais para a igreja e o mundo?"  Foi tudo muito simples, mas muito forte! Venho com a interpelação de que não basta festejar, há que implorar a graça jubilar de sermos possuídos pela Missão!

Bjs jubilares e em Aliança, Carminho
Clique aqui para editar
 


Comments




Leave a Reply